11 de dezembro de 2018

CENP abre novo canal de comunicação com o mercado

O projeto Conteúdos CENP tem início com esta newsletter: nesta edição, falamos sobre o desmantelamento de duas quadrilhas de fraudadores na internet e sobre as bases de uma nova abordagem, a DI – Digital Intelligence

Mais um canal de comunicação do CENP

 Se preferir, ouça essa notícia em nosso Podcast (duração: 01 minuto e 18 segundos) 

Esta é a primeira newsletter Conteúdos CENP. Conteúdos multimídia para informação, atualização, reflexão e debate das lideranças do mercado publicitário e seus clientes, de modo a contribuir para a manutenção e evolução das melhores práticas técnicas e de relacionamento ético-comercial da atividade.
O projeto procurará consolidar e apresentar de forma sintética os fatos e ideias daqui e dos principais mercados do mundo que dão sentido e sustentam as causas do setor publicitário e da própria autorregulação.
Nossa causa central, como se sabe, está na ideia de que o modelo clássico da publicidade é o mais produtivo para todos, pois os Anunciantes precisam de Veículos bem estruturados para atingir as audiências das quais necessitam para fazer negócios e fortalecer as suas marcas, assim como de Agências capacitadas na gestão da comunicação e com talento para conquistar seus prospects e clientes com propaganda distintiva e relevante.
Além da newsletter semanal, haverá o envio mensal de uma resenha de obra de relevância para nossa atividade - conteúdos que também estarão em podcast -, e uma homepage dedicada no website do CENP (https://cenp.com.br/conteudos-cenp)
Como sempre, sugestões, críticas e ideias que possam enriquecer mais esse canal de comunicação com a comunidade publicitária são bem-vindas.

Para registrar sua opinião, basta escrever para info@cenp.com.br

Diretoria Executiva

 

Duas quadrilhas de fraudadores da internet são desmanteladas pela Justiça americana

 Se preferir, ouça essa notícia em nosso Podcast (duração: 01 minuto e 47 segundos) 

Ação coordenada de uma aliança de empresas do mundo digital conseguiu obter, com o suporte da consultoria de cybersegurança White Ops e do Google, bem como a decisiva atuação da Justiça Federal norte-americana, uma importante vitória sobre os fraudadores da publicidade na internet, ao desmantelar duas quadrilhas, emitir ordem de prisão para oito indivíduos e colocar o FBI no controle de 31 domínios internacionais e ser autorizado a vasculhar 89 servidores.
As acusações, devidamente comprovadas, incluem fraude, invasão de computadores, roubo de identidade e lavagem de dinheiro que lesaram anunciantes e publishers digitais na casa de dezenas de milhões de dólares. O esquema funcionava, basicamente através de botnets e tinha até um "nome de guerra", 3ve.
Dos condenados, de origem russa e de países da Europa Oriental, um foi preso na Malásia e outro na Estônia. Ambos estão aguardando extradição para os EUA. Os outros seis estão evadidos e sendo procurados pela Interpol.
A consistência das acusações derivou de um relatório da White Ops e do suporte do Google e de mais 17 operadores digitais de diversos sub-setores do universo digital, coordenados pela Alliance, organizada justamente para combater operações fraudulentas criminosas na internet.
Este exemplo indica a validade da atuação coordenada do setor publicitário na identificação de desafios e problemas do mundo digital e na estruturação de soluções que beneficiem o conjunto, na linha do que o Comitê Técnico Digital – CTD, do CENP, tem procurado fazer.

 
SAIBA MAIS NO WHITE OPS (10 a 40 minutos de leitura - dependendo do interesse em conhecer todos os detalhes do caso)
SAIBA MAIS NO UNITED STATES DEPARTMENT OF JUSTICE (8 minutos de leitura)

 

O grau de DI substitui o nível de QI

 Se preferir, ouça essa notícia em nosso Podcast (duração: 01 minuto e 52 segundos) 

Um artigo publicado no site do World Economic Forum (www.weforum.org) vai direto ao ponto e afirma que o quociente de inteligência das pessoas, o famoso QI, perdeu o sentido no mundo atual, pois o que é mais relevante agora é o grau de DI – Digital Intelligence, que se define como “a soma das habilidades sociais, emocionais e cognitivas que permitem aos indivíduos enfrentar os desafios e se adaptar às demandas da vida digital”.
O foco do artigo é sobre as crianças e os desníveis de DI já existentes entre países desenvolvidos e em desenvolvimento, mas suas reflexões se aplicam perfeitamente a todos nós, adultos e jovens, sejam os que são imigrantes digitais, sejam os nativos digitais.
O impacto do digital no mundo avança a passos largos e logo será muito mais pervasivo e dominante do que podemos imaginar agora, tanto os imigrantes quanto os nativos.
Razão pela qual é de relevância tanto a leitura desse artigo como da homepage do site sobre a iniciativa do WEForum sobre o tema.
Adicionalmente, há um excelente artigo no McKinseyQuarterlyPorque as estratégias digitais falham?, no qual os autores explicam de forma didática que a jornada para o mundo digital é mais abrangente e complexa do que a maioria das empresas pensam e fazem. Também é de valia outro artigo da McKinseycom um roadmap para se fazer a transformação digital. Mesmo com foco no ramo dos seguros, a lógica e o caminho são aplicáveis a qualquer organização.
Fica claro que a visão necessária para a evolução positiva do digital é a defendida pelo CENP, ou seja, respeito e colaboração das partes em benefício da maior integridade, eficiência e eficácia do todo.


SAIBA MAIS NO SITE DO WE FORUM (8 minutos de leitura)
CONHEÇA O SITE DO DQ INSTITUTE (10 minutos de leitura)
LEIA ARTIGO DA McKINSEY & CO. (20 minutos de leitura)
SAIBA MAIS NO SITE DA McKINSEY & CO. (20 minutos de leitura)